“Como a Mata Atlântica virou a floresta que conhecemos hoje? Como respondeu aos diversos ciclos glaciais pelos quais passou?” são dois perguntas que procurou responder o programa BIOTA FAPESP dimensões da biodiversidade na mata atlântica. Apresentação dos principais resultados num corto filme.

Miniatura

A mata atlântica é uma floresta úmida situada no litoral brasileiro. E um hotspot de biodiversidade é uma zona com grande diversidade de fauna e flora, e particularmente ameaçada pela atividade humana.

De feito, se a área original era do 15 % do território do Brasil, hoje em dia dia fica menos da metade. As principais causas são o desmatamento e a urbanização.

O desafio não é só compreender como o bosque que hoje conhecemos se formou e se adaptou aos aquecimentos do clima, mas também tentar prever quais poderiam ser a resposta do ecossistema às mudanças atuais, e aportar elementos concretos para a conservação da área.

O Programa de Pesquisas em Caracterização, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade, denominado BIOTA-FAPESP, O INSTITUTO VIRTUAL DA BIODIVERSIDADE, é um projeto interdisciplinar e internacional que desde o ano de 1999 integra 55 pesquisadores e colaboradores.

Mais informações no sitio do projeto: https://www.biota.org.br/dimensoes-da-biodiversidade-na-floresta-atlantica/