A terceira edição do concurso vídeo ePOP foi lançada o 4 de janeiro até o 4 de abril 2021. Este inovador projeto, desenvolvido por RFI Planète Radio e o IRD, convida os participantes a recolher, num filme de máximo 3 minutos, o sentir das populações cuja qualidade de vida foi degradada como consequência das mudanças ambientais e climáticas.

No mundo tudo, os ePOPers podem enviar o seu vídeo. O concurso atribuirá 4 prêmios :

  • O Grande Premio ePOP - Grand Prix ePOP
  • O Premio da Emergência científica : águas, rios e oceanos - Prix de l’urgence scientifique : eaux, fleuves et océans
  • O Premio da jovem realizadora - Prix de la jeune réalisatrice
  • O Premio dos RFI Clubes - Prix des clubs RFI

Os vencedores receberam um convite para ir na França e participar de encontros e palestras, e também ganharam material de realização de filmes.

Encontram-se as informações completas no site (inglês ou francês): https://concours.epop.network/en/

© ePOP

O artista Grand Corps Malade será o patrocinador desta edição 2021, a qual terá um júri para cada prêmio com pessoal do mundo da pesquisa, dos meios de comunicação, da cultura e também pessoas mobilizadas pela conservação do meio ambiente.


Do IRD :  Victor DAVID, pesquisador em direito do ambiente e desenvolvimento sustentável, Stéphanie DOS SANTOS, socio-demógrafa de questões urbanas e da água no LPED, Claude-Anne GAUTHIER, Representante do IRD et MNHN em Madagascar, Gauthier DOBIGNY, ecôlogo da saúde, IRD/CBGP, Edmond DOUNIAS, etno-biologo, Representante do IRD na Indonésia e Timor Oriental, Frédéric MENARD, oceanógrafo e conselheiro científico dos territorios franceses do ultramar, Marie-Lise SABRIE, Diretora da Missão Cultura científica e tecnológica e Marie-Eve MIGUERES, encarregada dos ePOP.

O regulamento completo e a composição dos júris podem se encontrar online.

O projeto ePOP

A rede ePOP, ou pequenas ondas participativas, é coordenada por RFI Planète Radio e o IRD desde o ano 2017. O objetivo do concurso : dar a palavra ás populações e criar um dialogo com o mundo da pesquisa, os tomadores de decisões e os atores do desenvolvimento sustentável. Ao realizar filmes curtos com o smartphone, os jovens ePOPers (15-30 anos) tornam-se os porta-vozes do sentir, da experiência e dos questionamentos das suas comunidades, numa perspectiva inter-geracional, frente ás mudanças atuais.

O formato vídeo permite uma ampla difusão na escala local, regional e internacional, graças ás redes sociais, aos meios de comunicação locais e internacionais (France Médias Monde), durante eventos públicos e encontros internacionais.

Desenvolvido pela primeira vez na zona Pacifica, ePOP conhece agora êxito na zona do Oceano Índico, na África e esperemos proximamente na América Latina !