Rios On Line é um projeto de divulgação científica e ciência cidadã concebido em 2005 por pesquisadores e estudantes da UFAM, do INPA e da UEA. A partir de 2011 vem sendo apoiado por importantes parceiros como o SO HYBAM, a CPRM, a ANA, o ICMBio e a Embaixada da França no Brasil. Nasce da vontade de fazer dialogar a ciência e as populações da Amazônia, um público particularmente vulnerável face às mudanças climáticas.

O nascimento do projeto

Durante o século XX, ocorreram três importantes eventos de inundação na região de Manaus e em outras áreas da Amazônia: em 1953, 1976 e 1999. No entanto, no século XXI, já foram registradas enchentes severas em 2009, 2012, 2013, 2014, 2015, 2018 e em 2021, a maior delas já registrada. Esses eventos hidrológicos extremos, as cheias acima mencionadas mas também secas, estão se tornando cada vez mais frequentes nos rios da Amazônia. Além disso, existe um verdadeiro estresse causado por ações humanas ao meio fluvial: mineração ilegal, instalação de grandes centrais hidrelétricas, lançamento de esgotos... Tudo isto tem consequências importantes para o ecossistema e em particular para as populações humanas. Na Amazônia, como diria o escritor paraense Leandro Tocantins, "são os rios comandam a vida". As pessoas os usam como vias de transporte, fonte de alimento e inspiração para manifestações culturais. Ademais, muitas doenças têm relação com o funcionamento do ciclo hidrológico, como é o caso da malária – no Brasil, a Amazônia concentra mais de 90% dos casos.  

Após um evento de seca extrema em 2005 e todas as dificuldades engendradas, um grupo de professores e alunos baseado em Manaus, decidiu construir a plataforma Rios On Line para ajudar a entender as consequências hidrológicas relacionadas a eventos extremos, bem como também os demais riscos geológicos naturais ou antropogênicas, e propor ações mitigatórias. A iniciativa busca agir em parceria com parceiros ribeirinhos, voluntários residentes em diversos municípios da região que trocam experiências e, através da internet, informam sobre a situação em suas localidades face às questões ligadas aos rios.

Em que consiste?

O projeto contém dois eixos.

O primeiro diz respeito a divulgação do conhecimento científico dos rios com a ideia de criar uma cultura hidrológica, popularizando o conhecimento desta ciência nas sociedades amazônicas, trabalhando com escolas, governos locais e o público geral.

O segundo foco tem como objetivo a participação das populações no desenvolvimento da ciência, ou seja uma perspectiva de ciência cidadã: uma rede virtual de voluntários e voluntárias (especialistas e neófitos) enviam fotos, vídeos e informações sobre os rios, permitindo a documentação e o mapeamento de fenômenos hidro-climáticos em vários locais da bacia amazônica. Estes recursos são disponibilizados através da conta Instagram do projeto. Embora o foco de atividade esteja localizado no Estado do Amazonas, Estados vizinhos e inclusive outros países amazônicos estão representados.

⇒ Visitar a rede no Instagram: @rios_online

⇒ Conheça o Sitio Web: cutt.ly/mRntxSW

Quer saber mais ou participar? Fale com os responsáveis através do formulário.

Miniatura

Quer saber mais sobre hidrologia e conhecer melhor o projeto de ciencia cidadã #RiosOnLine? Veja a redifusão do Café geológico organizado por #CPRM com os pesquisadores Naziano Filizola da UFAM e Fernando Meirelles da UFRGS.

⇒ Intervenção de Naziano Filizola sobre #RiosOnLine entre 20min - 50 min.

Eventos extremos na Amazônia